quinta-feira, agosto 16, 2012

RELÓGIO DE BOLSO EM EXIBIÇÃO


John Chapman, 37 anos, viajava a bordo do RMS TITANIC em busca de uma nova vida nos Estados Unidos com sua esposa Sara Elizabeth Chapman, 29 anos. A Sra. Chapman foi oferecido um lugar em um bote salva-vidas, mas depois de ouvir que o seu marido não tinha permissão para se juntar a ela, ela disse: "Eu não vou entrar também".

O casal embarcou em Southampton na segunda classe com o bilhete número 29.034 ao custo de £ 26, comprado na White Star através do agente de viagens George & Co. de Liskeard, Cornwall. 

Quando a Sra. Chapman foi colocada no bote salva-vidas nº 4, percebeu que tinha de ir sozinha, virou-se para a sua amiga Emily Richards e disse: "Adeus Sra. Richards, se o John não pode ir, eu também não irei". O casal afogou-se minutos depois, quando centenas de pessoas se atiraram ao mar. O relógio de bolso do Sr. Chapman parou precisamente às 01h45min do dia 15 de abril de 1912. O corpo de Sr. Chapman, juntamente com o relógio de bolso, foram posteriormente recuperados, embora o corpo da sua esposa nunca foi encontrado.

O relógio de bolso ficou em exposição pela primeira vez, em Fevereiro de 2009, na nova galeria Titanic Honour and Glory no National Maritime Museum, em Falmouth, Cornwall.

O diretor do Museu, Jonathan Griffin disse: "Titanic é uma história com muitas outras histórias diferentes - talvez o maior desastre marítimo, mas que tem histórias pessoais emocionantes".

A história de Sr. Chapman foi usada mais tarde como inspiração para dois personagens recém-casados no filme Titanic "A Night To Remember" de 1958.

Com residência em St. Neot, Cornwall, eles estavam de partida para Wisconsin, depois de um ano de casamento esta viagem seria como se fosse à lua de mel.


William Sargent, sobrinho neto do Sr. Chapman, disse que a Elizabeth Chapman foi dada a chance de sobreviver por causa do protocolo de "mulheres e crianças primeiro", mas ela recusou. Ele disse: "O relógio de bolso foi enviado de volta junto com outros objetos pessoais, uma vez que o corpo foi encontrado, e agora tem sido passado de geração em geração como uma relíquia preciosa. O meu pai tornou-se o herdeiro após a morte do seu tio no Titanic. O meu pai nunca gostou do mar e sempre disse que sentia raiva. Acho que qualquer um que soubesse que seu tio e tia faleceram no famoso navio, pensaria assim".

John Chapman já tinha emigrado para o Canadá em 1906, antes de se casar com a sua namorada Sarah Elizabeth Lawry no ano de 1911 em Boxing Day, Liskeard, Cornwall. Eles resolveram ir para a América para estarem perto do irmão de Elizabeth e tinham planos de comprar uma fazenda e começarem uma família juntos.


Fonte: The Telegraph



2 comentários:

Marina Delanberg disse...

Que experiencia fascinante!!! ^^

J.R disse...

como um pequeno objeto pode nos relembrar um momento tão triste. ainda mais com as horas travadas