segunda-feira, novembro 24, 2008

RELATO DE BEESLEY E DODGE


O naufrágio do RMS Titanic sempre tem uma surpresa, por mais simples que seja, sempre encontramos algo que nos faz pensar um pouco no que ocorreu em determinados momentos.

Tais depoimentos abaixo não correspondem ao que se passa no navio. Não há lugares sobrando no bote número 13, não são apenas oito mulheres e nem o convés está deserto. Os homens se adiantam e saltam pelas janelas. Murdoch arria do convés A de estibordo o bote número 13, com 64 pessoas (21 homens, 35 mulheres, 8 crianças).

Artigo de Lawrence Beesley, 24 anos, passageiro da Segunda Classe, para o jornal London Times:

Embarquei no bote 13, no convés A, depois que uma chamada para mulheres e crianças foi repetida três vezes, sem resultado. Como não havia mulheres à vista, fui convidado a embarcar. Eu me mantivera à parte enquanto os botes estavam sendo lançados. Ao embarcar, não tomei o lugar de ninguém. Quando o bote começou a descer, o convés estava deserto.

Relato do Dr. Washington Dodge, 52 anos, passageiro da Primeira Classe, após ter lido o artigo de Lawrence Beesley:

Os botes 13 e 15 foram posicionados simultaneamente nos turcos. Disse o oficial Murdoch no comando, referindo-se ao 13: - Melhor lançar do convés A. Vendo que ao redor do outro bote, o 15, havia umas 50 ou 60 pessoas, entre as quais poucas mulheres, tomei a escada e desci para o convés A, onde o 13 já pendia no costado. Umas oito mulheres embarcaram nele, ajudadas por alguns homens e também por mim, pois tinham de passar pelas janelas. O oficial gritou repetidas vezes que se apresentassem mais mulheres e crianças. Ninguém apareceu e ninguém era visível no convés profusamente iluminado. Então entrei no bote, junto com outros homens.

Enfim, o que será que houve realmente? Será que ambos entraram em pânico? Será que o Dr. Washington Dodge aproveitou o relato de Lawrence Beesley?

7 comentários:

William disse...

mto massa Allê, tu ta d parabens cara
com o tempo vou ler tudo =]

Daniel disse...

porra, sera q um mentiu e o outro reforçou a mentira? o.O

D+ Alê!!! =]

Amauri disse...

Opa! Oo
...

Jeff disse...

tem coelho nesse mato =]

Mário disse...

não vejo mistério algum, pois segundo me recordo no livro A Night To Remember o oficial pede a todos que se desloquem para bombordo para tentar "endireitar" o navio. O bote 13 estava a estibordo. Além de que haviam botes a serem descidos no lado bombordo ainda, é bem possível que naquela hora poucos tivessem visto aquele bote ser descido.Parabéns pelo post.

Anônimo disse...

Enfim, o que será que houve realmente? Será que ambos entraram em pânico? Será que o Dr. Washington Dodge aproveitou o relato de Lawrence Beesley?

O que houve é o seguinte: na noite anterior, o navio encontrou um navio no meio do caminho. Na início da madrugada seguinte ele afundou. É mais do que óbvio que eles entraram em pânico. O navio iria afundar no meio do nada, no meio de um imenso nada gélido e escuro. Sua pergunta é um pouco descabida... afinal, pra que diabos um iria aproveitar o depoimento do outro? Pra falar a mesma coisa, somente acrescentando um pouco mais de detalhes? Sinceramente não entendi sua colocação. Mas eu gosto do seu blog, porque comecei a reparar no Titanic e sua história, é seu blog é um dos locais do mundo virtual onde mais encontro informações reunidas.

Anônimo disse...

Só retificando: escrevi "navio" onde deveria ter escrito ICEBERG. Freud diria que isso é um ato falho de minha parte, que demonstra minha inveja pelo seu blog ter tantos anos e tantos comentários, ao contrário do meu, que não trata de nenhum assunto em específico e tem apenas 3 comentários em quase um ano.