sábado, maio 09, 2009

A HISTÓRIA DE LEAH AKS


Nascida em Varsóvia, Polônia, no dia 18 de março de 1894, Leah Aks embarcou no Titanic com seu filho Frank Philip Aks de apenas 10 meses, com o bilhete número 392091, com destino a Norfolk, Virgínia, onde o seu marido Samuel Aks, um alfaiate, a esperava.

Na noite do naufrágio Leah Aks estava no lado estibordo do navio no convés A, onde caridosamente recebeu de Madeleine Astor um xale para esquentar seu pequeno bebê. Leah desorientada com tudo aquilo entra em desespero quando alguém pega a sua criança e a coloca dentro do bote número 11. Frank Aks é acolhido por Elizabeth Nye que já havia passado por uma tragédia pessoal, havia perdido seu marido e filho. Falaremos sobre Elizabeth Nye no próximo post.

Curiosamente Leah Aks, gritando desesperadamente, é colocada em outro bote, o de número 13, isso demonstra a desorganização e desespero de todos ali. De acordo com alguns do bote número 13, a senhora Leah Aks chorava sem parar, imaginando o que poderia ter acontecido com o seu pequeno Frank. Como estava enrolado, Leah Aks imaginou que ele poderia ser confundido com uma bagagem e ser jogado no mar.

Seu desespero estava apenas começando. Quando foram resgatados pelo navio Carpathia, Leah Aks localiza Frank nos braços da italiana Argene Del Carlo que diz ser seu filho aquele bebê. Leah pede ajuda ao Capitão Rostron para solucionar aquele impasse. Rostron reuniu as mulheres no seu alojamento e pede a cada uma delas provas da identidade da criança. Frank tem um sinal de nascença que apenas sua mãe verdadeira conhece. Pressionada, a italiana é obrigada a devolver o bebê.

Em 1913, Leah Aks tem outro bebê, desta vez uma menina a quem chama de Sarah Carpathia Aks, em homenagem ao Capitão Rostron. Infelizmente as freiras do hospital erram ao preencher o registro de nascimento e colocam o nome de Sarah Titanic Aks.

O frio intenso que recebeu durante todo o naufrágio tinha danificado permanentemente seus tímpanos, fazendo com que sofresse uma perda de audição parcial para o resto da vida. A Senhora Leah Aks morreu no dia 22 de junho de 1967, Frank Philip Aks morreu no dia 15 de julho de 1991, ambos estão enterrados no cemitério Forest Lawn em Norfolk, Virgínia.


Foto acima tirada em 1991 de Sarah Titanic Aks e Harry Aks, irmãos de Frank Aks. Infelizmente não há maiores informações sobre os irmãos Aks.

11 comentários:

Rodrigo Aparecido Piller disse...

Que história interessante esta, é para mim relembrar aa história dos Passageiros do navio é algo que é ao mesmo tempo interessante e triste.Já havia lido sobre, mas nunca havia visto fotos dos Aks assim. Quem diria que haveria alguém que levaria o nome Titanic para sua vida toda, ao invés de receber o nome do Carpathia, o herói da noite.

Parabéns pelo post e por relembrar a história dos passageiros do titanic. Grande abraço.

Mário disse...

excelente post!!!!! parabens!!

Kamilla disse...

parabéns pela matéria!

Assunto Titanic disse...

Me emoçiono todas as veses que ousso a história do titanic, este navio foi para muitos a prova de que Deus existe e que com ele não se brinca, a varias polemicas sobre o titanic, outros disem que o titanic estava levando uma mumia para os estados undos, mas sem provas, o titanic é um mistério preso ao fundo do mar. Foi uma das tragédias mais chocantes de todos os tempos.O titanic mereçe ser lembrado não só como o maior navio da época, mas sim pela sua história emoçionante.

Raphael disse...

Linda historia =)

Luiz Felipe disse...

o.O

Qual o seu nome? Carpathia Ask

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

tadin do guri

Gabriel disse...

tadin do guri [2]

sao peculiaridades de cada um :)

Tommy disse...

excelente post!!!!! parabens!!

Anônimo disse...

Fui na exposição Titanic aqui minha cidade e recebi o bilhete c/ o nome desta mulher...resolvi investigar e achei. Parabéns e felicidades.

Unknown disse...

Histórias realmente tristes e comoventes; o Titanic se foi mas vai ficar pra sempre como lembrança em nossas memórias.

Nilton disse...

Histórias realmente tristes e comoventes; o Titanic se foi mas vai ficar pra sempre como lembrança em nossas memórias.