domingo, setembro 18, 2005

WALTER LORD - PARTE II

Dando continuidade ao flog de ontem, segue mais trechos do livro “A Night to Remember”, escrito por Walter Lord (1917-2002). Quem ficou interessado no livro, logo abaixo esta o link da Livraria Cultura, caso alguém queira comprar-lo. Infelizmente no Brasil o livro não foi lançado, mas em Portugal sim, pela “Editora Presença”, com o título “A Tragédia do Titanic”.
-
-
... O nº 3 chegou às 6h00. O Casal Speddon subiu a bordo vestido de forma impecável. Logo atrás dele, vinha o dragomano(*) de Henry Sleeper Harper, Hamad Hassah, e o pequinês Sun-Yat-sen. Harper não levou muito tempo a descobrir Ogden no convés, cumprimentando-o com um distanciamento típico: - Louis, como é que consegue manter-se tão jovem? ...
... Bruce Ismay cambaleou pelo convés às 6h30, murmurando "Sou Ismay, sou Ismay". Ficou junto do passadiço, a tremer, encostado a uma antepara. O Dr. McGhee aproximou-se com amabilidade ... (Pág. 136)
(*) Dragomano - Um tradutor das línguas árabe, turca ou persa, empregado como intérprete, especialmente no Próximo Oriente
-
... Entretanto, chegou o Olympic. Por que não transferir os passageiros para ele? Rostron achou que era uma solução pavorosa, não conseguia convencer-se a sujeitar aquela gente a mais uma transferência no mar alto. Além disso, o Olympic era o irmão gémeo do Titanic. A própria visão do navio levaria os passageiros a pensar num fantasma odioso. Para não se comprometer, voltou ao camarote do Dr. McGhee, falou de novo com Ismay. O presidente da White Star estremeceu só de pensar nisso ... (Pág. 140)
-
... A história completa foi sendo conhecida pouco a pouco, mas alguns dos contos forjados nos primeiros dias nunca mais desaparecerm: a senhora que se recusou a deixar o seu grande dinamarquês para trás, a banda a tocar "Neaver My God to Thee", o capitão Smith e o primeiro oficial Murdoch a suicidarem-se, Mrs. Brown a dirigir o salva-vidas nº 6 de revólver em punho ... Mas as lendas fazem parte dos grandes eventos, e são úteis quando servem para manter vivas as memórias de actos corajosos de auto-sacrifício. As lendas não eram, porém, necessárias na altura. As pessoas sentiram-se esmagadas pela tragédia... (Pág. 146)
-
... Mrs. Noël MacFie ( então condessa de Rothes ), por exemplo, conta que, estando a jantar com amigos um ano depois do desastre, sentiu de repente a horrível sensação de frio e o horror profundo que sempre associa com o Titanic. Por momentos, ficou confusa, sem perceber a razão. Apercebeu-se, então, de que a orquestra estava a tocar "Os Contos de Hoffmann", a última peça tocada depois do jantar naquela noite funesta de domingo ... (Pág. 156)

4 comentários:

Venino disse...

Olha eu de novo, afinal temos que prestigiar os amigos. mesmo estando longe. esse livro parace ser otimo. vou ver se compro.

Jonas disse...

Po cara parece ser mto legal esse livro. vou pedir pro papi comprar. mameiro o flog. fui

Silvia disse...

olá obrigada pela visita, seu flog está legal...bjs

katia silva disse...

oi, estou adorando o flog, e sou super fa do titanic esse livro deve ser muito interessante, milbjs pra todos e pro dono do flog !!!!!!!!