quarta-feira, fevereiro 15, 2006

HOMENS AO MAR

Enquanto boa parte das mulheres e crianças encontravam-se sãs e salvas nos limitados botes, o cavalheirismo vigente dizimou quase toda a tripulação masculina do Titanic. O diretor da White Star Line, Bruce Ismay, usou de sua posição para embarcar num dos últimos botes salva-vidas. Essa atitude levou-o à desgraça: sua sobrevivência foi considerada obscena, à luz do número de mulheres e crianças que não conseguiram vaga nos botes. Além de Ismay, cerca de 25% dos membros da tripulação conseguiram escapar, em comparação com os 16% dos passageiros.
-
Pelo relato do médico Washington Dodge (post do dia 18/10/2005), um sobrevivente entrevistado dias depois da tragédia pelos jornais, muitos tripulantes abriram fogo contra homens da terceira classe que insistiam em embarcar nos botes reservados à primeira classe.

2 comentários:

jesse disse...

eh valia qualquer coisa para se salvar... a hipocrisia fez com que alguns homens se entregassem a mortem , devidos aos provaveis comentarios q teriam que ouvir ,caso sobrevivessem...
o medo da morte fizeram com que alguns ateh se passassem por mulher...pra poder se salvar
abraços

lorenna disse...

QUANTA INJUSTIÇA...CONCERTEZA HOUVE PREFERÊNCIA DOS BOTES PARA A 1° CLASSE...TINHAM DINHEIRO...
A TRIPULAÇÃO NÃO ESTAVA PREPARADA PARA UMA SITUAÇÃO COMO ESSA...
HOUVE MUITAS FALHAS NESTA HISTÓRIA...E, QUASE NINGUÉM ESCAPA ILESO...
EXCELENTE POST!
PARABÉNS...
AMEI A VISITA!
BEIJOS