quinta-feira, fevereiro 23, 2006

OS RADIOTELEGRAFISTAS, A VOZ DO TITANIC

Embora fossem obrigados a respeitar o regulamento de bordo, alguns dos muitos profissionais do Titanic eram encarregados de funções específicas e não dependiam diretamente da White Star Line. Dentre eles, havia dois radiotelegrafistas, John Phillips e Harold Bride, que eram subordinados à Marconi International Marine Communication Company. Para eles, o luxo do Titanic não fora um incentivo no momento do embarque. Interessava-lhes a oportunidade de navegar ao lado de um capitão como E.J.Smith, cuja postura não era contrária a avanços tecnológicos, como as ondas eletromagnéticas. A vida a bordo desses dois homens era um pouco diferente da dos demais: passavam o tempo fechados na estação de comunicação, formada por três cabines interligadas e localizada na popa da primeira chaminé. As siglas M.G.Y indicavam a estação radiotelegráfica. O aparelho que recebia as mensagens estava instalado na primeira sala; na segunda, havia um transmissor; os camarotes com beliches ficavam na terceira sala, onde eles descansavam ou dormiam em turnos alternados de seis horas. As doze horas diárias de trabalho tornavam-se particularmente pesadas quando havia um intenso tráfego de mensagens, pois era preciso transcrever tudo o que chegava e transmitir tudo o que saía. Esta situação dificultava-lhes a comunicação com os oficiais de convés, impedindo lhes de manter qualquer tipo de relação de igualdade. Muitas vezes, ao ser obrigado a entregar uma mensagem urgente, o radiotelegrafista não sabia qual era o oficial que cumpria plantão na ponte' de comando. Por outro lado, porém, essa nova profissão abria-lhes vastos horizontes. Fechados em suas três pequenas cabines e milhares de milhas distantes da terra firme, os dois radiotelegrafistas tinham a possibilidade de manter um contato direto com várias pessoas, graças a um sistema de transmissão instalado em terra firme, em uma estação de recepção da Marconi Company.
-
FOTO: Entrada dos escritórios da Marconi's Wireless Telegraphic Company, em Londres. À esquerda, o grande inventor Guglielmo Marconi, ganhador do prêmio Nobel de Física de 1909.

2 comentários:

lorenna disse...

OI...
É O TRABALHO ERA PESADO MAS ELES NÃO DEVERIAM TER IGNORADO O AVISO DO CALLIFORNIAN,ALEM DE IGNORAR FORAM MAL EDUCADOS...E DEU NO QUE DEU!!!NO NAUFRÁGIO DO TITANIC HÁ ARROGÂNCIA D+++...
AMEI A VISITA...
BEIJOS

MARLON disse...

e ai quanto tempo sem vir aqui ja tava com saudades pena q nao deu p eu ler tudo mas depois eu leio blz !!