segunda-feira, dezembro 26, 2005

A DESATRACAÇÃO

Por intermédio do capitão Benjamin Steele – superintendente marítimo de Southampton - de seu camarote, o comandante do navio enviou uma breve mensagem formal aos proprietários da nau: "Pela presente, comunico-lhes que o navio se encontra carregado e pronto para zarpar. Os motores e as caldeiras estão em bom estado para a viagem, e as cartas e rotas de navegação foram atualizadas. Seu fiel e dedicado criado, Edward John Smith".
-
Chegara o momento de George William Bowyer, oficial de rota com trinta anos de experiência, subir a bordo. Sua presença se tornava obrigatória devido aos vários bancos de areia que ameaçavam a navegação na confluência dos canais de Southampton, Solent e Spithead. No alto do mastro de proa tremulava o Blue Peter, estandarte que significa "todos a bordo: o navio está pronto para zarpar". Seis rebocadores rodearam lentamente o Titanic que, tendo sua partida em vista, e devido ao congestionamento provocado no porto pela greve dos trabalhadores das minas de carvão, fora ancorado com a popa voltada para frente. Uma vibrante multidão invadira os cais mais próximos e o convés dos navios ancorados nos arredores. Para desfrutar melhor do espetáculo, os observadores mais ousados subiram em mirantes improvisados. Do alto, no convés do transatlântico, os passageiros contemplavam a multidão que comparecera ao cais para se despedir.
-
Finalmente, a última passarela fora retirada. O capitão passou ao piloto a ordem de dirigir as manobras dos rebocadores. Chegara o momento de zarpar! Às 12h06min, com a devida pressão nas caldeiras, enquanto os rebocadores efetuavam a manobra, o Titanic soltava as amarras. O assobio da sirene fez vibrar as entranhas dos presentes. Em terra, a multidão explodiu em um festivo aplauso, liberando, desta forma, toda a tensão até então acumulada. Muitos jogavam os chapéus para o alto e, acima do resto da multidão, um mar de lenços tremulava em sinal de júbilo. Era impossível não se deixar levar por aquele clima carregado de coletiva euforia, que contagiava todos os presentes.

2 comentários:

Anônimo disse...

D++++
valew os votos de natal, mto show.
teu blog tah massssaaaaaaaa!!!!!!!

lorenna disse...

Oi...Nossa; a emoção dessas pessoas em busca de uma nova vida..
Em 10 de abril todos deviam estar eufóricos...Pena que acabou tão triste...
Muitíssimo obrigada pelos votos de feliz natal...(atrasado)
Te desejo muita saúde,paz e prosperidade, a vc e seus familiares...
Muito obrigada pelos comentários...
beiju
=)