domingo, fevereiro 14, 2010

TITANIC A LENDA - NARRAÇÃO - PARTE III


Um dos documentários mais famosos sobre o RMS Titanic é com certeza o Titanic – A Lenda (Titanic: Birth of a Legend, produzida pela Discovery Channel em 2005). Portanto colocaremos aqui a narração deste documentário, em homenagem aos meus amigos e oficiais Aislan e Amaury, que são fãs de carteirinha. A narração será dividida em 6 partes. Você também poderá baixar o documentário que já está disponível na comunidade no Orkut. Boa leitura...

NARRADOR: Francis Carruthers representante da Câmera de Comércio, encarregado de garantir os padrões de segurança. Para Carlisle após 40 anos na Harland & Wolff esse foi o limite. Foi o fim da participação de Carlisle na empresa. O Titanic foi o último navio que ele projetou. ( Nota: Sua saída foi motivada por não ter a quantidade de botes que ele exigiu ) O Titanic precisava de um novo projetista chefe, para Lord Pierre só havia uma possibilidade, seu sobrinho, Thomas Andrews. Em maio daquele ano, o cometa Halley era visível no céu à noite em toda a Europa. Segundo alguns foi quando Andrews levou a esposa Helen grávida do primeiro filho para exibir seu novo posto. O Titanic já estava gerando mitos, mas de todos os sinais ao mesmo esse viria a ser verdadeiro: O Titanic e Thomas Andrews seriam inseparáveis até o final.

Em maio de 1910, o casco do Olympic estava terminado. O desafio dos operários do Titanic era alcançá-lo. No trabalho com o metal quente a rapidez era tudo. Os rebitadores recebiam por peça, quando mais rápido trabalhassem, maior era o ganho. O perigo era um companheiro constante: 17 homens perderam a vida na construção dos navios.

A empresa estava em um período de grande expansão, mas de 3000 operários foram contratados, elevando a folha de pagamento para o valor recorde de 45 mil dólares, é o equivalente hoje em dia a 3 milhões de dólares por semana. O segredo da organização era a eficiência. Pierre montou o estaleiro baseado em suas experiências com produção em massa nos Estados Unidos. A eletricidade era gerada no próprio local, e pela primeira vez foi utilizado o sistema de trabalho em três turnos, 24 horas por dia. Os trabalhos no Titanic e no Olympic prosseguiam dia e noite, mesmo durante a montagem dos cascos, o trabalho na parte interna e no maquinário que daria potência aos navios continuava.

Alfred começava a trabalhar nas caldeiras do Titanic que iriam produzir a energia para movimentar os motores. Haveria 29 caldeiras cada uma delas alimentadas por 6 fornos, no total seriam consumidas 700 toneladas de carvão por dia que iriam gerar 30.000 cavalos de potência para os motores principais. As caldeiras eram gigantescas, mas o Titanic era projetado para ter eficiência e não velocidade. O vapor excedente seria encaminhado para um terceiro motor, uma turbina de baixa pressão que aumentaria em mais de 50% a potência do Titanic, e é para cá que toda a energia seria direcionada, para as gigantescas hélices de bronze. Uma hélice central de 20 toneladas métricas cercadas pro duas hélices de 35 toneladas cada uma delas com 4 vezes a altura de um homem. Essas seriam as hélices que por fim levariam o Titanic através do Atlântico. Quando terminados os motores e caldeiras seriam tão pesados que nenhum dos guindastes do estaleiro seria capaz de ergue-los. Para isso Lord Pierre mandou trazer um guindaste especial da Alemanha, há um custo de 50 mil dólares. Era o maior do mundo, capaz de erguer até 250 toneladas com um alcance de 50 metros. Uma empresa alemã supervisionava a montagem do guindaste. Durante os trabalhos alemães e irlandeses se encaravam com suspeita. O guindaste gigante finalmente estava pronto, mas os trabalhadores alemães hastearam a sua bandeira como toque final, os irlandeses não ficaram impressionados. Os alemães entregaram o guindaste e a bandeira, eles até mesmo içaram a bandeira britânica, apenas 4 anos depois esses homens estariam em guerra, mas por enquanto paz...


Continua...

5 comentários:

Luiz Felipe disse...

esse doc eh MARA *-*
adorei o texto

:)

Victor disse...

17 morreram? q pena :(

Daniel disse...

tristeza pelas mortes
alegria pelo lendario titanic

Anônimo disse...

como disseram os seus construtores, que nem Deus o afundaria, e os beatles "então," disseram que eram mais popular que Jesus, os dois se acabariam em pouco tempo, duvidas do poder do criador ?

Anônimo disse...

como disseram os seus construtores, que nem Deus o afundaria, e os beatles "então," disseram que eram mais popular que Jesus, os dois se acabariam em pouco tempo, duvidas do poder do criador ?