sábado, abril 07, 2007

RODRIGO PILLER E SEU RELÓGIO - PARTE II

Titanic Momentos traz neste mês de abril em comemoração ao aniversário do naufrágio do RMS Titanic, o mais celebre navio da história da humanidade, outra entrevista com o nosso amigo e titânico Rodrigo Piller, que contará como foi o processo de criação do seu relógio. A entrevista foi dividida em 3 partes. Hoje trazemos a segunda parte desse projeto maravilhoso. Espero que todos gostem da matéria. Abraços...

-

-
Quando as molduras secaram uni cada uma delas ao quadro com cola branca e fiz o acabamento nas juntas com gesso e massa acrílica. O próximo passo foi fazer as estruturas da base do círculo do relógio e o círculo também. Essas duas peças foram feitas com papelão paraná bem reforçado. Fiz o buraco na madeira na parte onde aplicaria o relógio e logo em seguida fixei o círculo e a base com cola. Fiz os acabamentos com papel de seda para disfarçar o ponto de colagem entre o papelão e a madeira revestida em papel cartaz.
-
Montei o mostrador do relógio com papel e tive de fazer os números no computador e montá-los num círculo bem medido para tirar xérox de tudo para sumir com as emendas (fiz isso, pois não teria como encontrar um mostrador com as mesmas características do relógio original).
-
Já havia comprado a máquina do relógio (que era de um relógio de parede) e fui cortando os ponteiros de plástico para que ficassem mais finos e parecidos com o do relógio original, finalizei os ponteiros fazendo pontas no formato de gotas como os da foto original e pintei de preto. Fiz o miolo dourado do relógio com papel laminado todo recortado. Mandei cortar o vidro numa vidraçaria e encaixei sob o círculo já pronto. Depois de tudo seco preparei 3 kg. de massa de biscuit branca e comecei a parte mais desafiadora, “a modelagem”.
-
Comecei fazendo os pequenos detalhes florais da base de sustentação do relógio e logo em seguida fiz os pés das duas figuras. Fiz as cabeças inteiramente com massa e, como medida de economia de material, fiz o interior de seus corpos e pernas preenchidos com jornal, isso deu a estrutura interna necessária para ser recoberta por uma camada de massa imitando o tecido das roupas. Não fiz as roupas por inteiro e sim fui trabalhando com pequenos pedaços de massa esticada para dar o movimento do tecido, isso sempre com a foto do relógio e o filme em mãos e reparando em todos os detalhes.
-
Como para mim seria difícil fazer os pequenos detalhes iguais aos do relógio resolvi não copiar e sim fazer releitura das folhagens do pé do relógio e de tudo que não pudesse fazer idêntico. Os trabalhos de modelagem demoraram dois dias.
-
Depois disso veio a secagem que deve ter demorado uns três ou quatro dias (já não lembro), o próximo passo era a pintura, o que era mais um problema, pois ainda não tinha descoberto como fazer uma tonalidade de madeira que ficasse bonita. Arrisquei a começar a pintar. Pintei de marrom escuro, em seguida de bege, mais uma mão de tinta e outra e mais outra, passei cola em cima de tudo para plastificar e envernizei depois.
-

(Continua...)

3 comentários:

Felipe disse...

quero saber como ele consegue fazer isso, ficou muiito fodaaaaa

Rodrigo Aparecido Piller disse...

é isso aí...

fernando disse...

esse rodrigo eh o mestre