sexta-feira, outubro 21, 2005

HÁ 92 ANOS AFUNDAVA O TITANIC

Na noite do dia 14 de abril de 1912, o Titanic da White Star Line, maior e mais luxuoso navio em sua época, chocou-se contra um iceberg próximo à costa canadense, em sua viagem inaugural de Southampton para New York. Considerado o mais seguro navio do mundo, o Titanic não sobreviveu à fenda em seu casco provocada pelo atrito com o gigantesco bloco de gelo, afundando quase duas horas depois. Morreram 1.517 passageiros e tripulantes, salvando-se 706.
-
Mais famoso acidente na história das viagens marítimas, o afundamento do Titanic foi conseqüência de uma série de erros. Durante a viagem foi enviado ao capitão do navio, John Smith, diversos avisos sobre a existência de icebergs em sua rota, ignorados pelo comandante, que desejando estabelecer novo recorde de velocidade na travessia do Atlântico Norte. A falta de binóculos para os marinheiros da vigia também impediu que o iceberg fosse avistado a tempo. Outro fator que poderia ter evitado o afundamento do navio, uma vez que o choque com o bloco de gelo fosse inevitável, teria sido a decisão de sua tripulação de manter a proa rumo ao iceberg.
-
Sendo o casco do Titanic dividido em 16 compartimentos independentes que se fechariam em caso de um rombo em sua estrutura, se o choque fosse frontal provavelmente dois ou três desses compartimentos teriam sido afetados. Com o choque lateral, o casco foi rasgado longitudinalmente e cinco desses compartimentos foram inundados, comprometendo mortalmente a estabilidade do navio. Ainda assim, haveria tempo hábil para salvar todos os seus ocupantes, não fosse à decisão de seus construtores de disponibilizar um número de botes salva-vidas suficiente para apenas metade da capacidade do navio (considerando o Titanic "inafundável", seus proprietários julgavam que um número maior de botes seria supérfluo e comprometeria a beleza e o conforto do barco).
-
Os passageiros e tripulantes sobreviventes foram resgatados pelo navio Carpathia, da Cunard Line (que possui o maior navio de passageiros da atualidade, o Queen Mary 2). A Cunard, anos mais tarde, absorveria sua concorrente White Star Line. A tragédia com o Titanic teve como conseqüência positiva a revisão das normas de segurança em viagens de navios. Hoje todos os navios de passageiros possuem botes suficientes para todos os seus ocupantes, e antes de cada viagem é feito um treinamento de evacuação em caso de acidente grave. Além disso, dispositivos como GPS, radares meteorológicos e sonares mantém a tripulação informada sobre obstáculos e más condições do tempo.
-
FONTE: Reportagem Cruising On Line de 14/04/2004.

4 comentários:

Diego disse...

PARABÉNS PELO POST...
FOI OTIMO!!

LORENNA disse...

OI...nossa quem diria que um navio trilhado para o sucesso fosse ter o seu fim em uma gelada noite no meio do oceano...Essa triste história teve um lado bom...a revisão de normas de segurança...
Obrigada pelo comentário...
beijos...

jesse henrique disse...

oi mto bom o post ,estou pensando seriamente em adiquirir direitos autorais dessa materia,pra plagea-la no meu flog
abraços
jesse

Felipe Araujo disse...

Desde então nenhum acidente do tipo envolvendo "iceberg" aconteceu novamente. Bom saber também sobre as "patrulhas de icebergs" criadas após o ocorrido para reforçar a segurança das navegações marítimas.