sexta-feira, maio 19, 2006

O NAUFRÁGIO DA BALSA MS ESTÔNIA

No dia 28 de setembro de 1994, a balsa MS Estônia cruzava o Báltico em direção a Estocolmo, com chegada prevista para as 09h30min. A embarcação levava 989 pessoas, além de 40 caminhões, 25 carros, 9 vans e 2 ônibus. Ao deixar as águas protegidas, o MS Estônia passou a ser açoitado por uma tempestade com ventos forte e ondas de 6 metros. Mesmo nessas condições, uma embarcação do tamanho daquela não deveria ter maiores problemas.
-
Mas, cada vez mais, o MS Estônia parecia à mercê do temporal. Por volta da 0h30min, o capitão ordenou que fossem ativadas as lâminas de estabilização. Em apenas meia hora, estrondos foram ouvidos na proa e o navio inclinou 50 graus para estibordo. Muitos dos passageiros ficaram presos nos andares inferiores. Os que estavam na ponte ou no convés não conseguiram usar os barcos salva-vidas de estibordo. Botes e coletes foram distribuídos para cerca de 300 pessoas. Às 02h00min o MS Estônia afundou.
-
Nas horas seguintes, a tempestade só dificultou os trabalhos de resgate das embarcações que se dirigiram ao local. Um helicóptero de salvamento chegou por volta das 03h00min. Das 989 pessoas a bordo, apenas 137 saíram com vida. Nos dias seguintes, somente outros 95 corpos foram recolhidos, deixando um total de 757 corpos provavelmente presos dentro do MS Estônia.
-
O incidente com esse navio é tido como o maior desastre marítimo europeu desde a Segunda Guerra Mundial. Ninguém sabe ao certo o que naufragou o MS Estônia. Os países envolvidos não quiseram uma investigação cabal, temendo reveses indenizatórios. As famílias das vítimas ainda fazem pedidos para abertura de investigação e que, pelo menos, os corpos desaparecidos sejam retirados dos escombros. O MS Estônia tinha como característica uma proa levadiça.
-
Seu nariz podia ser levantado para a entrada de veículos. Uma nota oficial de 1997, após observação dos destroços submersos do navio, indicou que o nariz estava aberto provavelmente por conta da pressão da água. Mais recentemente, a possibilidade de uma explosão na proa ter provocado o naufrágio foi considerada. Para especialistas e repórteres, há evidências de que as travas do nariz do MS Estônia se abriram por conta de uma explosão criminosa. O que segue depois beira a teoria da conspiração, envolvendo espiões desempregados comunistas e segredos de Estado roubados. De qualquer maneira, o naufrágio do MS Estônia não teve a atenção merecida. O incidente se desdobrou em um cenário de total desrespeito para com as vítimas e os familiares desamparados. O MS Estônia repousa em águas internacionais, a uma profundidade de 80 metros.
-
Dedico este post ao meu amigo Mário.

4 comentários:

Anônimo disse...

nossa, bem tiste esse acidente, snif... snif...
bunita foto do navio e da tempestade
como sempre d+++ seu blog.
bjx

flavia nogueira disse...

sou eu a anonima, esqueci de trocar, ;)

Armário disse...

Que Mário?

Anônimo disse...

meu, tira a musica do blog! é irritante! É totalmente dispensável na página e inapropriada. Quando vou ouvir algo, seja lá o que for, não é aqui! As postagens são boas, mas pelo amor de deus, tira essa música!