domingo, novembro 06, 2005

CQD - SOS

Vinte e cinco minutos após a colisão, do iceberg com o Titanic, ouve-se a ordem: "Todos os passageiros para o convés! Preparar todos os botes salva-vidas!" O operador de rádio do Titanic recebe a ordem para enviar a mensagem de SOS. Desde 1908 que o famoso sinal SOS já estava em uso, facilitando os chamados de socorro, mais ainda não era usual em 1912. Mais tarde, ao transmitir SOS no lugar de CQD, Bride e Phillips foram dos primeiros a lançá-lo numa situação de emergência.“CQ” significa que era destinado a “todos os navios”, mais um “D”, indicando aflição ou perigo. Muita gente as interpretou erroneamente como uma sigla de “Come Quick, Danger” - venha rápido, perigo.

O primeiro SOS realizou-se em agosto de 1909. O operador T.D. Haubner do SS Arapahoe transmitiu por rádio um pedido de “ajuda” (não de emergência, como foi no caso do Titanic) quando seu navio se perdeu nos bancos de areia Diamond Shoals, chamado às vezes de Graveyard of the Atlantic (Cemitério do Atlântico). A chamada foi ouvida pela estação HA em Hatteras. Alguns meses mais tarde, o SS Arapahoe recebeu uma chamada de socorro do SS Iroquois. O oficial de rádio T.D. Haubner tem a participação nos primeiros dois incidentes com o uso do “SOS” na América, no primeiro como o remetente e no segundo como o receptor. Os Estados Unidos não adotaram oficialmente o SOS até 1912.

O termo SOS foi escolhido por um comitê internacional, por causa da facilidade de sua transmissão, que podia ser realizada mesmo por um operador sem treinamento em código Morse.

O "S" corresponde a três pontos, e o "O" corresponde a três traços. Durante a Segunda Guerra, algumas Marinhas adotaram a modificação SSS sempre que se tratasse de ataque por submarino, a fim de avisar os navios de socorro do perigo oculto sob as águas.

Na verdade, o sinal de SOS, não representar as iniciais de palavras, nem mesmo letras, para não ser confundido com nenhuma outra seqüência de caracteres, o sinal deve ser transmitido numa seqüência ininterrupta, sem os espaços que o código Morse intercala entre as letras.

Usando a convenção do Morse falado ("di" para ponto e "da" para traço):
o sinal é di-di-di-da-da-da-di-di-di,
e não di-di-di (pausa) da-da-da (pausa) di-di-di.

Há várias versões sobre a verdadeira frase oculta nas três iniciais:
SOS - "save our souls" (salvem nossas almas);
SOS - "save our ship" (salvem nosso navio);
SOS - "stop out signals" (cessem as transmissões);
SOS - "send out succor" (enviem socorro).

Infelizmente SOS não tem significado, mas, eu em particular, acho o mais certo: "save our souls" (salvem nossas almas).



FOTO: Um genuíno aparelho de telégrafo usado pela "Marinha Portuguesa". Não tenho uma data sobre o aparelho, mas é bem antigo, e esta perfeito, um verdadeiro tesouro. Esse aparelho de telégrafo foi um presente de um grande amigo, um autêntico Marinheiro. Um lindo gesto de amizade, pois ele mesmo não tem um aparelho desses.
-
Esse post eu dedico inteiramente ao meu amigo Mário João Monteiro da Silva, uma pessoa iluminada, são muitas as palavras para descrevê-la. Mário você é o máximo, que Deus te ilumine sempre. Tudo de bom meu amigo.

2 comentários:

LORENNA disse...

Oi Alencar...Muito interessante essa reportagem...E vc tem razão ao falar das outras duas cenas q são muito tristes...BEIJOS
Obrigada pelas visitas:-*
LORENNA

Venino disse...

Olá, nossa ta ficando muito legal esse espaço aqui.
Que legal o presente que ganhou do seu amigo.
Nossa já estamos até em Portugal, huahuahuahuahua.
Você merece muito mais.....
Abraços,
Ate +.